Marketing Pessoal – Nona parte

Dicas para um bom marketing pessoal:

31 – E aceite desafios. Isto pode ser muito importante também para a sua imagem. Mostre que você gosta de desafios, mostre que gosta de aprender.

Com essas regras em mente você com certeza terá muitos aliados caso algum dia, perca seu emprego ou queira trilhar novos caminhos.

32 – Vão rolar cabeças na empresa? Vai ter corte?

Se você fez a sua parte corretamente e trabalhou bem o seu marketing pessoal, caso você seja cortado, não vão faltar vagas para você.

Não crie um monstro na sua cabeça. Confie que você fez o caminho certo e tenha certeza que não vai faltar oportunidade para você. Já passei por situações que pareciam ruim e acabaram melhor do que eu imaginava. Nem tudo é o que parece.

33 – Network

Você pode fazer mais amigos em dois meses interessando-se pelas outras pessoas do que em dois anos tentando fazer as outras pessoas se interessarem por você. Dale Carnegie

Mas, afinal, o que significa exatamente network? Um network é uma corrente de conexões que se cruzam em intervalos regulares, envolvendo contatos e relacionamentos que podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos profissionais.
É marketing boca a boca. Não é prospectar nem recrutar nem vender. É conhecer, se relacionar, conversar.


Se você só liga para seus ex-colegas de trabalho quando está desempregado, fique atento, pois está jogando fora uma excelente oportunidade de ser lembrado!

É um processo exigente de longo prazo, que requer muitos contatos, durante meses e, às vezes, anos. Algumas pessoas acham que é suficiente bater papo em feiras ou trocar cartões em eventos. Mas é preciso muito mais se você quiser ver resultados realmente concretos. Por isso, é fundamental aprender a administrar o tempo e recursos financeiros aplicados no estímulo do seu network.


Procurar as pessoas somente nos momentos de necessidade o tornará um chato interesseiro. As pessoas precisam sentir que também ganharão algo em troca.

A idéia de cultivar uma rede de relacionamentos vai além de explorar os dados contidos naquela “agendinha” esquecida…


O network poderá fornecer um panorama geral do mercado de trabalho. Em contato com outros profissionais, você poderá encontrar maneiras de avaliar as habilidades que possui e descobrir as habilidades que deve desenvolver. Isto o tornará mais competitivo!

A sua rede de contatos precisa saber o que você anda fazendo e quais foram os últimos cursos de atualização e eventos dos quais participou. Assim, quando chegar o momento de procurar um novo emprego , o network evita que você fique desesperado para identificar quais são as pessoas que poderão ajudá-lo.
Todos nós precisamos cultivar uma rede de relacionamentos, não somente para procurar um novo emprego, mas para obter informações úteis que nos ajudarão em nosso crescimento pessoal e profissional.

34 – Vocês já devem ter ouvido falar que 70% das pessoas conseguem emprego através de seu network. O Network pode ser decisivo para o seu futuro.

Recentemente um grande amigo meu que estava disponível no mercado estva comentando que ele não cultivou um network muito grande e que ele deveria ter pensado nisto. Mas ele foi justamente indicado por um de seus networks que ele nunca pensou que poderia indicá-lo.

35 – Com certeza você já esteve numa festa, rave, barzinho, casamento, batizado ou, entre uma piada e outra, num velório no qual foi apresentado a alguém e, por alguma coincidência qualquer, escutou a famosa frase “mas que mundo pequeno, hein!?”.
Muito além de procurar velhos amigos, apenas manter as fofocas atualizadas ou demonizar algum desafeto, as redes têm a atualíssima função de trocar dicas sobre empregos, negócios, oportunidades comerciais e profissionais. Ou, simplificando, o tal do network.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 8 =